quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Meu Amor: Edinete















Cada dia que passa eu confirmo
Mais e mais o quanto eu te amo
Eis a musa que inspira o que eu declamo,
Só Deus sabe o quanto eu te estimo,
Minha ternura, meu dengo, o meu mimo.
Meu descanso no leito ao dormir
O mais belo entre os colibris,
Que ganhei por divina providência
Só existo por tua existência
Sem você deixarei de existir.
 *
Tens a cara da mulher sertaneja
Cor morena de face tão singela
Nem as cores que existe na aquarela
Derramam graça como tu despeja,
Teu olhar dá encanto que graceja.
Teu andar um desfile a céu aberto,
Ao seu lado sinto o paraíso perto
E o mundo cada vez mais distante,
Com você quero estar a todo instante
Sob a guardo do teu amor coberto.
 *
No ensejo profundo da emoção
Afloraste no peito do poeta
O mais puro amor como o néctar
Sugando o mais humilde do botão
Dentre as rosas floridas pelo chão.
Sou um cravo que obteve a sorte
Que tamanha pessoa do seu porte
Só Deus pode botar em meu caminho
Sem você não sei viver sozinho
Antes disso prefiro ter a morte.
 *
Hoje posso chamá-la minha esposa
Minha aliança de amor e vida eterna
Nossas vidas o amor é quem governa
Em constante lua de mel ele repousa,
Supera e resiste a qualquer coisa.
És a dama desse humilde trovador
Que só vale o que tem, e meu valor
Só vale quem amo e quem me ama.
No estatuto da vida ele proclama
EDINETE meu eterno e grande amor.

Autor: Roseno Oliveira