segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Poesia de Reisado



Boa noite meu Capitão
Desculpe minha demora
Vou lhe explicar agora
Toda a situação
Percorri todo o Sertão
Mas acabei de chegar
Eu gosto é de cantar
Essa é minha estima
No improviso da rima
Eu boto pra arrebentar.

O verso quando é bem feito
Ele agrada demais
Moça, menino, rapaz,
Admira o que é direito,
Pois quando está perfeito
Agrada toda essa gente
Sou a fera do repente
Talvez ninguém me conheça
Se tem poeta apareça
Vamos vê quem é valente.

Não precisa se espantar
Pois a minha valentia
A transformo em poesia
Pra quando eu desafiar
Um cabra deste lugar
Ele que fique alerta
Pois eu sei a hora certa
E o ponto de atingir
É melhor admitir
Que eu sou mesmo poeta.

Me chamam de convencido
Até mesmo orgulhoso
Mas eu sou é corajoso
Sujeito bem destemido
Faço o inocente bandido
E o bandido inocente
Quando declamo um repente
Sinto muita animação
Boa noite meu capitão
Boa noite pra toda gente.

Autor: Roseno Oliveira.