sábado, 19 de julho de 2014

Orgulho de Ser Sertanejo



Como é bom acorda de manhazinha
No aconchego da minha residência
Minha esposa com amor e paciência
Preparando meu café na cozinha,
Depois vou dar milho pra galinha,
Dos pintinhos, limpar o seu viveiro,
Dou milho pros porcos no chiqueiro,
Limpo a tina que os boto pra beber.
Faço graveto de pau pra ascender,
Forno a lenha no jirau lá do terreiro.
*
Pego uma foice de roça afiada,
E de lado um facão na cintura,
Vou pra baixa de terra que perdura
Um capim pelos meses de estiada.
Levo um jegue e cangalha emparelhada,
Meu pé duro fumaça que espelha,
Enfezando a colméia de abelha,
Ao pé d’água do cocho e cacimbão.
Corto as pressas o capim do grotilhão
E vou logo moer para as ovelhas.
*
Não esqueço se quer de um só dia
De chiqueirá os bezerros no curral,
Pra tirar o amargo do bamburral,
Dou ração e mais outras iguarias.
Cada qual tem seu peso, sua quantia,
Minhas vacas são sempre admiradas.
Boas de leite, formosas e pesadas,
Que nem mesmo o verão faz descair.
Sem faltar eu dou para quem pedir,
Leite, queijos, doces e qualhadas.
*
Vou pra roça alegre e satisfeito,
Trabalhar e tirar o meu sustento
O trabalho é fonte de alimento,
Sou honesto, por isso bato no peito.
Sertanejo é assim e não tem jeito,
Só quer ver sua família viver bem.
No bolso às vezes nenhum vintém,
O que importa é a barriga cheia
Não inveja, nem cobiça coisa alheia,
Só agradece a Deus tudo que tem.
*
Quando chega a noite, seis e meia,
Meu amor traz a janta bem quentinha
Enfeitando a mesa da cozinha,
Dos sabores nortistas ela está cheia.
Oro antes de começar a ceia
Com fervor, dá pra vê meu lagrimejo,
Tudo ali é fruto de pelejo,
Abençoou os filhos na dormida
Abraço e beijo minha querida
Sou feliz, me ORGULHO DE SER SERTANEJO.




Roseno Oliveira,
                       
                        18 de Julho de 2014.