terça-feira, 12 de novembro de 2013

Homenagem a Jorge Henrique





De choro, saudade e emoção,
Meu peito enche que se cansa,
Tua falta é acido que corrói,
Coração transpassado com uma lança,
Com sete chaves guardo com carinho
Tua amizade eterna na lembrança.

Guardarei os momentos de crianças
Quando ainda brincávamos com carrinhos,
No terreiro jogamos muita “bila”,
De “baladeira” caçávamos passarinhos,
E nas noites festivas de São João
Era festa alegre entre os vizinhos.

Nos criamos ali, sempre juntinhos,
Nossa rua foi sempre animada,
Brincadeiras pra gente não faltou
Lembro bem das conversas nas calçadas
Nossos velhos amigos de infância
Batendo papo em altas madrugadas.

No inverno juntava a vizinhada
Todos nós ainda adolescentes,
Pra caçar “tejubina” nas “varedas”
E comer melancia no sol quente
Não ligávamos se ia fazer mal
Tão pouco se íamos ficar doente.

Ainda guardo em minha mente
Aquela bóia amarrada com embira
Quando a gente pescava de anzol
Era grande o cambo de traíra.
Mango ainda do nosso “landuá”
Mosqueteiro amarrado todo em tira.

Com sua partida a gente pira
De tanta coisa veio recordação,
Sua família, os amigos, só tristeza,
Uma ferida aberta no coração.
Lisieux chora luto e lamenta
Não ter mais aquela sua animação.

Cada canto da nossa região
Tu deixaste amigo ao passar,
Tua alegria freqüente com a vida
Era o ponto mais forte e singular,
Seu carisma, seu jeito, seu semblante.
Em minha alma acabei de tatuar.

Findo aqui desvairando de chorar,
Relembrando momentos meus e seus,
Nossa terra acaba de perder
Outro filho distante do apogeu.
Família e amigos esperam aqui
Pra dizer meu irmão, vá com DEUS.

12 de Novembro de 2013.

Roseno Oliveira.

http://cordelizandonanet.blogspot.com.br/